Eu Amo Manaus

Eu Amo  Manaus

Click here to edit subtitle

Flores no botânico.

A poucos quilômetros do centro de Manaus são cultivadas orquídeas expostas à visitação pública o Musa. Abaixo, vista da floresta a partir da torre do Musa

Búfalos no lago

No lago do Puraquequara, Zona Leste, além da bela vista que pode ser desfrutada em época de cheia, o visitante pode ser surpreendido ao se deparar com uma criação de búfalos no local, foto abaixo.

Praça da Saudade

Inaugurada na década de 1860, a praça que oficialmente tem o nome de 5 de Setembro, passou a ser chamada de Praça da Saudade porque anteriormente ali existia o cemitério São José. O local já teve outros nomes como "Washington Luís", "Getúlio Vargas" e "Jardim São José".

Praia da Lua

Localizada a 10 min, de barco, da Ponta Negra, a Praia da Lua é opção para quem quiser ficar em uma praia ao lado da floresta. Se o rio Negro estiver cheio, dá para tomar banho à sombra das árvores. Confira na foto abaixo.

Ponte Benjamin Constant

Construída para ligar o bairro Cachoeirinha ao centro urbano, a ponte Benjamin Constant por muito tempo foi conhecida como Rio Branco, bairro então existente, quando inaugurada em 7 de setembro de 1895 por Eduardo Ribeiro.

O contrato para construção data de 20 de setembro de 1892, com a empresa John Birck & Cia., mas o projeto de 1893, por erro de cálculo, teve que ser alargado em 12 metros, o que elevou o custo da obra em 3.400 libras esterlinas.

Parque Senador
Jefferson Péres

A área do Parque Senador Jefferson Péres é solo criado a partir do igarapé de Manaus e do Bittencourt e está situado atrás do Centro Cultural Palácio Rio Negro
Inaugurado em 2009, seu nome presta homenagem ao político que morreu no ano anterior.
No parque há espaço para caminhadas, entretenimento infantil, além de um orquidário.
Thank you for contacting us. We will get back to you as soon as possible
Oops. An error occurred.
Click here to try again.

Manaus do rio Negro e dos parques

A vocação da cidade, que completou 347 anos em 24 de outubro de 2016, não deixa de ser pelas águas, seja do rio Negro ou do Solimões, que, ao se juntarem, formam o Amazonas. Outros cursos d'água como Mindu, Mestre Chico, Tarumã, Quarenta, entre outros, fazem parte da da malha fluvial que corta Manaus.

Parque Rio Negro: vista privilegiada para caminhar

Localizado próximo à ponte do São Raimundo, o parque tem equipamentos para práticas esportivas e, mais que isso, é local de visão privilegiada na desembocadura do igarapé que empresta nome ao bairro com o rio Negro, além do patrimônio histórico representado pelas edificações da antiga Cervejaria Miranda Corrêa (foto à esquerda). O parque foi inaugurado em 30 de abril de 2015 e desalojou um porto irregular que funcionava ali.

Ao custo de R$ 50,7 milhões, o parque, com mais de 36 mil metros quadrados, dispõe de área para caminhadas, jardins, além de quatro mirantes de onde é possível observar o rio, o nascer e o pôr-do-sol. Situado no bairro São Raimundo, Zona Oeste, também  está próximo do centro histórico.

Em período de enchente, além da atividade física, o parque também proporciona, eventualmente, a observação de pássaros e de peixes que se aproximam do local.

Religiosidade do manauara

São Pedro, santo que tem a guarda da porta dos céus, dizem os devotos, também é homenageado pelos pescadores e população da cidade, no dia 29 de junho, em procissão fluvial.

Musa, o Museu da Amazônia

Situado na Zona Norte de Manaus, no bairro Cidade de Deus, o Musa está localizado dentro da Reserva Ducke, cuja fauna e flora é objeto de estudo por cientistas. Fundado em 2009, o Musa é considerado um "museu vivo" e oferece atrativos relativos à floresta amazônica e sua conservação, incluindo um mirante (torre) de onde a floresta pode ser observada. Foto abaixo

Espaço para gourmet é no centro

Na praça D. Pedro II, centro de Manaus, a alimentação tem encontro marcado com a população em eventos promovidos por chefs para promover a alimentação saudável de quem visita o local em dias de Passo a Paço. Abaixo, imagens da feira realizada na praça D. Pedro II.

Ponta Negra

Nem só de água é feito o Complexo Turístico da Ponta Negra, localizado na Zona Oeste de Manaus. Além de instalações esportivas que vão do skate ao vôlei de praia, o local conta com área parqueada e é usado para contemplar o rio Negro a partir de seus mirantes. Também  não faltam ali oportunidades para que a população o utilize em manifestações políticas. Crianças, baixo, aproveitam o lazer  do balneário na margem esquerda do rio Negro.

Entre dois rios

Manaus está assentada na margem esquerda do rio Negro e próxima do Encontro das Águas com o Solimões/Amazonas.

O embrião da cidade foi o Forte de São José do Rio Negro estabelecido pelos portugueses em 1669 com a finalidade de vedar o acesso à região aos estrangeiros. Emblematicamente, no local onde a fortificação foi erguida, depois se instalou a Alfândega do Porto, que teve sua pedra fundamental lançada em 27 de junho de 1906 por Afonso Pena. Instalada em 17/01/1906, a Alfândega foi construída com peças importadas da Inglaterra, segundo Otoni Mesquita, mas também com pedras vindas de Portugal, informa Luiz de Miranda Corrêa. A imagem acima data de junho de 2012, quando rio Negro atingiu nível recorde de enchente.

Panorâmica da cidade a partir do rio Negro tendo ao centro as instalações da cervejaria da Ambev em edificações da Grande Cervejaria Amazonense de Miranda Corrêa & Cia. que envasava a cerveja XPTO até meados do século 20, situada no Plano Inclinado.
No destaque central estão o edifício da Receita Federal em Manaus, enquanto as instalações portuárias do Roadway aparecem abaixo, mostrando o armazém central onde já funcionaram bares, restaurantes, lojas e caixas eletrônicos.

Dalma Batista em dois tempos

Principal avenida de Manaus, a Djalma Batista abriga três centros comerciais e está passando por mudanças que envolvem, inclusive, paisagismo e arborização para torná-la mais aprazível.




Largo São Sebastião, ao lado da rádio Rio Mar, visto a partir da rua José Clemente, é lugar que dispões de wi-fi, além de pizzaria e banca de revistas e livros. Muito frequentado por estudantes das escolas do Centro